Carga projeto requer cuidados e seguro diferenciado

As operações envolvem números vultosos e qualquer ocorrência com avaria representa perdas que podem comprometer todo o projeto

Cleci Leão

A partir do mês de abril, o especialista em seguros internacionais Aparecido Mendes Rocha, trará uma coluna quinzenal que será publicada às quartas-feiras no Guia Marítimo News. O primeiro assunto escolhido pelo colunista, que se apresenta nesta semana aos nossos leitores, foram as cargas de projeto, ou indivisíveis: cargas cujas medidas, dimensões e peso ficam fora dos padrões que permitem o embarque em contêineres convencionais para o transporte internacional. Normalmente, esse tipo de carga inclui reatores, turbinas, transformadores, geradores, guindastes, plataformas, usinas completas, pás eólicas e equipamentos de grande porte.

Mendes Rocha explica que o transporte de cargas de projeto exige estudos específicos da logística aplicada em todas as etapas da viagem, começando no local de saída do fornecedor, passando pela viagem internacional, armazenagem, até a entrega no local indicado pelo comprador. “Os estudos de viabilidade são desenvolvidos por equipes profissionais capacitadas para atuar com cargas especiais e diferenciadas e envolve o fretamento de navio ou aeronave, do veículo rodoviário ou ferroviário e avaliação dos equipamentos que movimentarão a carga durante o transporte”, diz o especialista.

O Brasil não é apenas um país importador de projetos: já há algum tempo, várias empresas brasileiras desenvolvem grandes projetos industriais ligados à expansão de fábricas, construção de refinarias, hidroelétricas, termoelétricas, indústria naval, mineração, off shore , projetos no setor de energia, óleo e gás, fabricação de aeronaves e até construção de submarinos. A demanda por carga de projeto é grande, mas é preciso muita melhoria na infraestrutura para atender às necessidades exigidas no transporte dessas cargas. No mês de fevereiro, o Guia Marítimo elaborou um Especial dedicado a cargas de projeto, infraestrutura e tecnologia, em que diversas operações foram detalhadas e explicadas por empresas dedicadas a esse tipo de operação.

Mendes Rocha lembra que o modal marítimo representa a maioria dos transportes de carga de projeto, para os quais são utilizados navios roll-on-roll-off, principalmente para as cargas rolantes, ou navios especializados em carga solta (breakbulk), além de navios porta-contêiner para o transporte de equipamentos especiais. E explica também que, a fim de evitar avarias durante a viagem, são necessários cuidados especiais com a adequação de embalagem, armazenagem, planejamento de manobra de transbordo, estivagem e fixação da carga nos porões ou conveses da embarcação.

Do ponto de vista da contratação de seguros, ele alerta: “as operações de carga de projeto envolvem números vultosos e qualquer ocorrência com avaria representa perdas que podem comprometer todo o projeto, o que faz com que a proteção securitária adequada seja essencial”. Devido à complexidade do transporte de carga com riscos potencialmente agravados, Mendes Rocha afirma que, tanto para determinação das condições do seguro de transporte internacional quanto para sua precificação, as seguradoras precisam conhecer detalhadamente o projeto, o tipo de carga, o meio de transporte, a classificação de navios, aeronaves, características de veículos transportadores, plano de gerenciamento de riscos, armazenagem, operações de carga e descarga e trajeto rodoviário até o local de entrega – caso haja cobertura para esse percurso.

Para cargas que tenham a finalidade de compor um empreendimento com prazo previsto para o início de suas atividades, por exemplo, ele indica o seguro de DSU - Delay Start Up. “Essa modalidade de seguro cobre as perdas financeiras por atraso no início das operações do projeto em caso de sinistro que possa ocorrer durante o transporte dos equipamentos a ser implantados”, explica o especialista.

Escrito por:

Aparecido Rocha Mendes

Especialista em seguros internacionais



Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.