GRU Cargo amplia presença nas importações e exportações brasileiras em 2015

Liderando a operação de cargas internacionais com 38 % de mercado, aeroporto lançou ainda programa de incentivo tarifário

Desde o início da gestão, em 2013, o Aeroporto de Guarulhos elevou a sua participação no fluxo de cargas aéreas internacionais de 34% para 38%. Apesar da queda de 8% em relação ao volume movimentado em 2014, o desempenho do GRU Airport foi superior à média geral do mercado, que recuou 13% ao longo do ano passado. O aeroporto teve alta na sua presença nas importações e exportações brasileiras, encerrando o ano com 38% de participação dentre os aeroportos do País. O índice é dois pontos percentuais superior ao registrado no ano anterior.


De janeiro a dezembro, foram movimentadas 235.698 toneladas de cargas, entre exportações e importações. O total de cargas embarcadas para o exterior foi de 114.793 toneladas, o que representa 47% de participação no mercado nacional de exportações. No segmento de importações, GRU acumulou 33% do total recebido no País.

De acordo com a Gerente Comercial de Cargas do GRU Airport, Maria Fan, os investimentos na infraestrutura do terminal de cargas e na relação com o cliente trouxeram novas parcerias comerciais e permitiram ao aeroporto um desempenho acima da média do mercado.


evolução


















Automobilísticas como a Renault, por exemplo, mudarem seu planejamento logístico para concentrar suas operações no GRU Cargo. Em 2015, a companhia alterou o fluxo de importação de Curitiba, sede da montadora, para Guarulhos, a 400 quilômetros da capital paranaense. De acordo com o responsável pelas importações da empresa, Thiago Camara, um dos principais ganhos foi a agilidade dos processos, quantidade de voos e redução de custos, mesmo com o aumento da distância do destino final. Segundo Camara, em 2014, depois da Concessão, o Aeroporto de Guarulhos ficou mais ágil. “Reunimos a equipe e estudamos as possibilidades de redução de custo e benefícios de transferir as importações para São Paulo. Mesmo a 400km da fábrica, ganhamos um dia no tempo de trânsito, o que valeu muito a pena”, explicou.


A iniciativa rendeu a equipe responsável o prêmio “Copa Redução de Custo Renault”, programa de reconhecimento interno para estimular projetos de economia. Outra automobilística a optar pela mudança foi a Mercedes-Benz. Segundo Cátia Sandri, analista de importação da montadora, os avanços em infraestrutura e nos processos resultaram na decisão. “Parceria, redução do lead-time, diminuição dos custos e maior oferta de voos foram diferenciais para utilizar o GRU Airport, além de mais proximidade com a carga”, comenta Sandri.


Incentivos Tarifários


aviões


















O aeroporto lançou ainda, com o objetivo de estimular novos voos cargueiros internacionais, o Programa de Incentivos Tarifários. Objetivando ainda ampliar oportunidades de novos negócios, o GRU Airport Cargo, com o “Programa de Incentivos GRU” prevê isenção de 100% na tarifa de pouso, no período de 27 de março de 2016 à 25 de março de 2017, para operações unicamente cargueiras.


As empresas aéreas interessadas em aderir ao programa devem atender a requisitos mínimos de participação, como operar uma nova rota regular entre o GRU Airport e algum país da África, América do Norte, Ásia, Europa ou Oceania. As operações passíveis de incentivo deverão ocorrer somente fora dos horários de pico e possuir, no mínimo, uma frequência semanal e com regularidade mensal de 80% do previsto no Hotran.


Os interessados devem requerer o incentivo e encaminhar o Programa de Incentivo devidamente assinado, com toda a documentação prevista no programa. O documento pode ser solicitado por e-mail e em breve estará disponível também no site do GRU Airport.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.