Mineradora em fase pré-operacional anuncia proposta para assumir controle da Log-In

Ações da companhia chegaram a subir 10% após proposta; Log-In afirma ainda ter recebido propostas de diferentes agentes para investimento

Kamila Donato


box-3 A Manabi, uma mineradora em fase pré-operacional com ativos de minério de ferro em Morro do Pilar (MG), anunciou essa semana uma proposta a Log-In não vinculante para assumir o controle da companhia de logística. A mineradora que possui um projeto de um porto em Linhares (ES), passa por processo de reestruturação, após mudança de controle acionário.


Em comunicado o Diretor-Presidente e de Relações com Investidores da Log-In, Vital Jorge Lopes, disse que a companhia vem analisando múltiplas alternativas estratégicas para o desenvolvimento dos negócios em parceria com seus assessores financeiros. “A companhia efetivamente recebeu propostas de diferentes investidores para investimento, seja por meio de um aumento de capital seja por meio de venda de ativos. Estas propostas eram não vinculantes e estavam sujeitas ao cumprimento de diversas condições”, disse.


Pela proposta apresentada, a Manabi se compromete a subscrever, em um aumento de capital, uma participação equivalente a no mínimo 51% do capital social total e votante da Log-In, sem qualquer pagamento aos seus acionistas. “A proposta da Manabi, além de não vinculante, também está sujeita ao cumprimento de diversas condições. Os termos das propostas recebidas estão sendo avaliados pela administração da Companhia no melhor interesse e não serão neste momento divulgados para não prejudicar as posições dos investidores e não comprometer o eventual fechamento de qualquer negócio”, disse Vital.


A proposta está sujeita a diversos termos e condições, dentre eles, a prévia exclusão da cláusula de “poison pill” (restritiva) do estatuto social da Log-In, além da aprovação dos demais termos do aumento de capital pela assembleia geral dos acionistas da empresa. O estatuto da Log-In prevê que um investidor que atingir participação de 35% no capital tem que fazer uma oferta pelas ações restantes pagando no mínimo o valor econômico apurado em laudo de avaliação.


Vale ressaltar ainda que o anúncio gerou uma alta nas ações da empresa, que fechou na última segunda-feira (4), com 11,57%, a R$ 1,35. O papel chegou a subir 32,23% ao longo do pregão. Ainda segundo Vital, até a presente data, “não há qualquer acordo firmado que confira segurança quanto à conclusão de qualquer transação com qualquer investidor com base em tais propostas”. A íntegra da proposta não foi divulgada, segundo a Manabi, pois a publicação dos termos “seria prejudicial à posição competitiva da companhia em relação ao fechamento do negócio”.


O Guia Marítimo News continuará acompanhando o desdobramento da análise de discussão das propostas.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.