Porto de Busan espera superar a crise com ações de integração

Com o fortalecimento das atividades de atendimento ao cliente, estabelecimento de uma área destinada a cargas vazias, além de cooperação com outros portos mundiais, a BPA pretende chegar aos 20 milhões de toneladas em 2016

Cleci Leão


Busan-Port-Korea














O maior porto da Coreia do Sul fica no rio Naktong, e é um importante ponto de ligação comercial entre o Oceano Pacífico e os países pertencentes à Eurásia. O porto de Busan configura na lista dos 10 maiores do mundo, com um movimento estimado em 19,45 milhões de Teus em 2015 (número a ser confirmado pela autoridade portuária até fevereiro), dos quais 48% referem-se ao comércio exterior e 52% em transbordos, atendendo ao mercado interno.


Para 2016, a autoridade portuária se diz “confiante em conseguir chegar aos 20 milhões de Teus”, por meio de uma iniciativa recentemente anunciada para o desenvolvimento das atividades do porto. Diante de um mercado absolutamente refreado, e da média geral de crescimento registrada pelos 10 maiores portos mundiais que não ultrapassou os 4%, a BPA (Busan Port Authority) admite que os planos para o ano que começou são um desafio.


No entanto, o porto afirma acreditar que chegará à marca dos 20 milhões de Teus por meio de ações como o fortalecimento de suas atividades de atendimento ao cliente, subsídio aos custos de transporte intra-terminais para cargas de transbordo, e estabelecimento de uma área destinada a cargas vazias em New Port.


Além disso, a BPA garante que irá agilizar seus planos de integração do North Port para oferecer ao usuário um único operador de terminal, que também será acionista. As construções para o terminal adicional em New Port serão aceleradas, de modo a atender à demanda de carga e diminuir o congestionamento em épocas de pico. Em 2016, a autoridade também promete manter o foco no desenvolvimento do Distripark, para atrair mais empresas multinacionais de logística que se estabeleçam nas áreas oferecidas. Além de aumentar a movimentação de cargas, a ocupação também deverá gerar novos empregos para o porto.


Para dar assistência às ações programadas, a BPA criou uma área específica chamada International Business Division, com o intuito de ajudar o porto a ganhar extensão para os mercados globais e reagir ao cenário da navegação mundial, atualmente em constante e rápida mudança. As atribuições da divisão incluem aprimorar a identificação da cadeia logística, bem como as potenciais oportunidades, por intermédio dos escritórios de representação da BPA na China, Japão e Europa, e sua rede de atuação mundial por meio de agências. Além disso, a nova divisão também deverá trabalhar em pesquisas e análises para detectar novos mercados e tendências e estabelecer parâmetros analíticos.


A BPA também pretende intensificar suas atividades atuais com outros portos, especialmente aqueles situados em países em desenvolvimento, de maneira a compartilhar seu conhecimento e experiência na administração e na operação portuária. O porto acredita que essas iniciativas deverão aumentar a cadeia logística e direcionar melhor a sua movimentação global.


Em seu pronunciamento, o CEO da BPA, Yejong WOO, disse que, “na condição de um dos maiores portos de contêineres do mundo, devemos manter os nossos esforços concentrados nos mercados internacionais, de modo a garantir a continuidade do crescimento e desenvolvimento do setor”. E completou: “Estamos geograficamente bem localizados para o manuseio de cargas domésticas, internacionais e de transbordo, e nossas instalações modernas fazem do Porto de Busan uma excelente escolha para os armadores e embarcadores”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.