Porto de Suape inaugura novo Centro de Prontidão Ambiental

Equipamento é pioneiro no Brasil em ações de prevenção e identificação de potenciais riscos antes de acontecer incidentes com derramamento de óleo no mar

No Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta quarta-feira (5), o Porto de Suape inaugurou o novo Centro de Prontidão Ambiental – Base Mar, que funciona 24 horas por dia, inclusive nos finais de semana e feriados. O equipamento está localizado no Cais 0, dentro da área conhecida como porto interno e próxima à Torre de Controle. O antigo centro funcionava na Praia de Suape, a seis quilômetros do porto, e possuía uma estrutura menor do que o atual. Com a mudança de local, o tempo de resposta das ações de contingência em caso de derramamento de óleo ou outras substâncias nocivas no mar cairão de 15 para 10 minutos. A nova estrutura é a maior base de atendimento dos portos públicos do país.

“O Porto de Suape está na vanguarda com a maior infraestrutura do Brasil dedicada ao atendimento de emergências com óleo e substâncias perigosas no mar. Como líder em movimentação e armazenamento de granéis líquidos no país, Suape precisava montar uma estrutura de prevenção e ação à altura da sua importância, com ações mais abrangentes do que manda a própria legislação ambiental. É o primeiro porto a contar com ações de prevenção, identificando potenciais riscos e agindo antecipadamente a qualquer possível derramamento de óleo ou outras substâncias”, comentou Leonardo Cerquinho, presidente do Porto de Suape.

O novo prédio foi montado utilizando um material típico de áreas portuárias cada vez mais visto em construções: os contêineres. São nove deles, divididos em área de armazenamento de equipamentos, oficina, banheiro, dormitório, escritório com vista panorâmica para todo o porto e sala de reunião. O centro conta com apoio de duas embarcações e uma lancha rápida, além de um dique flutuante para acesso direto às embarcações, o que permite o carregamento e descarregamento de materiais de forma imediata, para impedir contaminação. No total, 19 pessoas treinadas em procedimentos internacionais de resposta trabalham no local, divididas em quatro equipes em regime de plantão.

No escopo de atuação da equipe do Centro estão a realização de inspeções por mar e terra em todos os terminais e áreas comuns do porto, com ou sem navio atracado; observação das condições gerais quanto aos cercos preventivos; identificação da presença de vazamento, resíduo ou corpo estranho no mar; reconhecimento das condições inseguras e outras situações que possam impactar no funcionamento geral do Porto.

O trabalho das equipes envolve várias atividades, como vistorias terrestres nos cais e Píeres de Granéis Líquidos (PGLs). O grupo analisa cada operação dos navios e fatores relacionados com a saúde ambiental e de contaminação em terra, como as posições das escadas e a amarração das rateiras nos cabos dos navios. Nessa vistoria, também é observada a colocação das boias de contenção ao redor das embarcações. Em caso de irregularidade, a equipe registra tudo em formulários e repassa os detalhes à Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Suape, para que sejam tomadas as medidas necessárias.

Já no ambiente marítimo, lanchas acompanham as operações de atracação durante todo o processo, com registro fotográfico. Além de monitorar toda a movimentação, uma vistoria de três em três horas é realizada por terra em toda a área do porto. O centro, que terá custo anual de R$ 2,3 milhões, também atenderá à execução do Plano de Emergência Individual (PEI) e Plano de Área, que são os documentos e mecanismos a serem adotados individualmente e em grupo, em caso de incidentes. 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.