APM Terminals Brasil fecha 2015 registrando crescimento de 30% na produtividade

O terminal catarinense registrou média positiva em Itajaí e Pecém. Para executivo, aumento da produtividade é resultado de investimentos em equipamentos, processos e na qualificação dos funcionários

images (3) A APM Terminals Brasil fechou 2015 com o maior índice de produtividade já registrado em Itajaí (SC) e Pecém (CE). O terminal catarinense registrou uma média de 35,59 movimentos por hora (MPH) por portêiner. A alta foi de 13% acima da média registrada em 2014, que foi de 31,40 movimentos por hora por STS. O recorde alcançado em Itajaí em 2015 foi de 39,84 MPH por equipamento, o que corresponde a 25% acima da produtividade máxima do ano anterior (31,77 MPH).

Para o Diretor superintendente da APM Terminals Brasil, Ricardo Arten, o crescimento diante do cenário econômico estagnado e desafiador mostra a busca da companhia pela excelência operacional e melhora da produtividade que ajuda o armador a encurtar o tempo de atracação e por consequência reduzir seus custos. “Pensamos em longo prazo e buscamos sempre oportunidades de desenvolver mais os nossos negócios. Entendemos que a melhoria contínua, além de fazer parte do nosso dia-a-dia, também nos prepara para o futuro”, disse.


download (4)O terminal também segue em Pecém, com o mesmo ritmo de crescimento nos índices de movimentação, nesse caso nos guindastes MHC (sigla em inglês de Mobile Harbour Crane). No terminal cearense, a produtividade média por equipamento cresceu 58%, alcançando 18,26 movimentos por hora em 2015, com picos 36,11 MPH. “O aumento da produtividade é resultado de investimentos em equipamentos, processos e na qualificação dos funcionários.

Além disso, o intercâmbio de informações com os mais de 60 terminais da APM Terminals no mundo proporciona a aplicação de melhores práticas no planejamento operacional e na manutenção dos equipamentos”, explicou Arten, acrescentando anda que além do crescimento na produtividade, o engajamento dos funcionários aumentou 11% em 2015, ultrapassando a marca de 90%.

“Também diversificamos serviços e inovamos em soluções para os nossos clientes”, completou.

Para esse ano, o executivo ressaltou que a companhia continuará impulsionando a criatividade, a adaptabilidade e a resiliência em suas equipes, “independentemente do cenário macroeconômico. Nosso pensamento não é de curto prazo”, finalizou.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.