Ataque terrorista em Bruxelas fecha aeroportos e aumenta o alerta na UE

Agência Amaz atribui a grupo islâmico o ataque suicida de dupla explosão que matou mais de 30 e feriu uma centena de pessoas.

2016_03_23_bruxelas_aeroporto2
O aeroporto de Bruxelas permanece fechado até a próxima quinta-feira após os ataques terroristas que mataram pelo menos 30 pessoas, ferindo outras 81 em três explosões na manhã desta terça-feira.


“Por volta das 8 horas [horário local] da manhã de terça-feira, 22 de maço de 2016, duas explosões ocorreram no pavilhão de embarques”, relatou o departamento de comunicações do Aeroporto de Bruxelas, em declaração oficial realizada no site da entidade. O prédio foi imediatamente evacuado após as explosões, que se acredita terem vindo de dentro do próprio terminal.


A rede belga de TV noticiou que o procurador federal do país havia confirmado que as explosões provinham de um ataque suicida, pelo qual o grupo Islâmico assumiu a responsabilidade por meio de sua agência Amaz.


O Primeiro Ministro da Bélgica, Charles Michel, chamou os ataques de “cegos, violentos e covardes”, enquanto a administração do aeroporto declarou sua mais profunda condolência aos amigos e parentes das vítimas.


Em decorrência dos ataques, o aeroporto de Bruxelas não terá voos programados para esta quarta-feira, principalmente porque as investigações forenses continuam em andamento e nem mesmo a administração aeroportuária tem acesso às instalações no momento, o que impossibilita inclusive a divulgação da dimensão dos danos.


Segurança

2016_03_23_bruxelas_aeroporto

A Associação Alemã de Aviação Civil (German Association of Civil Airports) delcarou que aumentará as medidas de segurança nos aeroportos do país, oferecendo total apoio à polícia federal alemã. A Bélgica permanece sob aviso de Ameaça Nível 4, o mais alto na categoria de alerta de terrorismo. O ACI-Europe, o Conselho Aeroportuário da União Europeia, declarou que todas as autoridades nacionais do grupo estão revendo seus níveis de alerta de segurança contra o terrorismo, e que alguns deles já implantaram medidas de segurança no entorno de seus aeroportos e outras localizações primordiais. Os aeroportos estão se mostrando totalmente cooperativos com as autoridades.


Já o Conselho de Aviação Norte-Americano (ACI-NA), divulgou, nas palavras de seu president e CEO Kevin M. Burke, que “Hoje todos os aeroportos são unânimes em reafirmar o compromisso com a garantia da segurança do público viajante (...). Para ajudar a garantir a segurança, os aeroportos estão, em conjunto com a Administração para Segurança do Transporte e autoridades judiciais, avaliando e melhorando continuamente as medidas de segurança com base nas estruturas de inteligência e informações obtidas a partir de incidentes locais, nacionais e internacionais.”


IATA expressa indignação

A IATA DG, e seu CEO Tony Tyler expressaram indignação diante dos ataques: “Pessoas inocentes foram mortas sem nenhuma razão, num ataque à humanidade. Nossos pensamentos estão com as vítimas e suas famílias e amigos”.


A entidade afirmou ainda que prestará auxílio às vítimas e encontrará os responsáveis, primando pela solução das questões de segurança, que certamente serão levantadas com o caso. “A indústria da aviação continuará a trabalhar em parceria com os governos, como parte de sua responsabilidade em proteger o cidadão contra atos maliciosos por meio de ações bem planejadas e medidas coordenadas” afirmou Tony Tyler.


“A aviação é uma força para ser usada para o bem, uma vez que ela une o mundo e promove melhor entendimento entre pessoas e culturas (...) Vamos nos manter unidos com o povo de Bruxelas, onde muitos de nossa equipe moram e trabalham”, completou o CEO.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.