Ultracargo chega à região Norte do País

A Ultracargo chegou à região Norte do País, com a inauguração de um terminal no Porto de Vila do Conde (PA). O movimento irá contribuir para o desenvolvimento local e reforça o compromisso da empresa com a evolução da logística portuária brasileira. Inicialmente previsto para o final de 2022, o início das operações foi antecipado em 1 ano, resultado de planejamento e excelência na execução.

De acordo com o Presidente da Ultracargo, Décio Amaral, a chegada ao Pará é importante para ampliar o alcance e a presença da empresa em regiões com potencial de crescimento, como é o caso do chamado Arco Norte, formado pelos sete portos do Norte e do Nordeste. “O Porto de Vila do Conde é uma eficiente ligação da região com outros territórios, além de funcionar como porta de entrada de combustíveis. O novo terminal irá colaborar para o desenvolvimento do setor de armazenagem de granéis líquidos no Pará”, destaca.

Com alto nível de automação, o terminal de Vila do Conde conta com 17 tanques, totalizando 110 mil m³. Com isso, a capacidade total de armazenamento da Ultracargo será ampliada em cerca de 14%, passando de 883 mil m³ para 1 milhão de m³. O número já representa mais de 30% do mercado portuário de granéis líquidos no Brasil, que atualmente conta com a participação de 17 empresas. Juntos, os players respondem por uma capacidade estática de 3,3 milhões de m³.

Para atender à demanda de armazenagem de combustível, o terminal foi concebido para operar com alto nível de produtividade e eficiência. As centrais de transferência de produtos são automatizadas e operadas remotamente a partir do Centro de Controle, trazendo, principalmente, segurança para as operações. Além disso, contam com dispositivos de detecção de chamas e vapores inflamáveis, com acionamento automático de espuma para combate a emergências.

Desde a construção, o terminal considerou práticas de sustentabilidade como a redução de 50% no uso de madeira, ao adotar formas metálicas reutilizáveis. Ainda nesta fase, houve reuso de água nos testes hidrostáticos e a implantação de sistemas de captação de água de chuva que proporcionaram uma economia de até 25% de água tratada. Durante a operação, o novo terminal contará com práticas como a destinação correta de resíduos e coleta seletiva, além de medidas de eficiência energética.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Guia Marítimo. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.